AGRUPAMENTO DE ESCOLAS TOMAZ PELAYO

Cursos de Especialização Tecnológica

 

Para mais informações consulte o site da Direcção-Geral do Ensino Superior -www.dges.mctes.pt

De acordo com a Deliberação n.º 7 da Comissão Técnica para a Formação Tecnológica Pós-Secundária (CTFTPS), de 22 de fevereiro de 2013, as propostas de CET não podem restringir as condições de acesso à inscrição suprimindo uma ou mais das habilitações fixadas no artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 88/2006, de 23 de maio. De igual forma, o plano de formação de cada CET deve ser sempre acompanhado do plano de formação adicional a que se refere o artigo 16.º.

Objetivos

Os cursos de Especialização Tecnológica são cursos pós-secundários não superiores, que conferem uma qualificação de nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ), que visam suprir as necessidades verificadas, no tecido empresarial, ao nível de quadros intermédios, capazes de responder aos desafios colocados por um mercado de trabalho em permanente mudança e acentuado desenvolvimento, constituem-se como uma alternativa válida para a profissionalização de técnicos especializados e competentes.

Destinatários

a) Titulares de um curso de ensino secundário, ou de habilitação legalmente equivalente;
b) os que tendo obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10.º e 11.º e tendo estado inscritos no 12.º ano de um curso de ensino secundário ou de habilitação legalmente equivalente não o tenham concluído;
c) titulares de uma qualificação profissional de nível 4;
d) titulares de um Diploma de Especialização Tecnológica (DET) ou de um grau ou diploma de ensino superior que pretendam a sua requalificação profissional;
e) podem igualmente candidatar-se à inscrição num curso de especialização tecnológica num estabelecimento de ensino superior os indivíduos com idade igual ou superior a 23 anos, aos quais, com base na experiência, aquele reconheça capacidades e competências que os qualificam para o ingresso no curso em causa.

Nota:

Para os titulares das habilitações a que se referem as alíneas a), b) e c), o ingresso em cada curso de especialização tecnológica pode ser condicionado, se tal se revelar necessário, à aprovação em unidades curriculares das habilitações em causa que integrem as áreas disciplinares consideradas indispensáveis à frequência do respetivo curso fixadas como referencial de competências de ingresso.

Certificação

À frequência de um Curso de Especialização Tecnológica, com aproveitamento, confere a atribuição de um Diploma de Especialização Tecnológica (DET).

Componentes de Formação

O plano curricular de um curso de especialização tecnológica integra três componentes de formação, nomeadamente, formação geral e científica, formação tecnológica e formação em contexto de trabalho.

Legislação e Regulamentação

Pedidos de Criação e Autorização de funcionamento dos CET

O IEFP, I.P. foi nomeado pela tutela como organismo instrutor dos processos de criação e de autorização de funcionamento de CET propostos por Centros de Formação Profissional e por outras instituições de formação certificadas pela DGERT, cabendo ao Departamento de Formação Profissional a análise e a emissão de parecer bem como a respectiva tramitação.

Nota:
Para uma visualização completa dos formulários sugere-se que os mesmos sejam abertos numa nova janela (clicando no botão direito do rato).


REFERENCIAIS DE FORMAÇÃO

OFERTA DE FORMAÇÃO

Fonte IEFP

Crie um site gratuito com o Yola