AGRUPAMENTO DE ESCOLAS TOMAZ PELAYO

Cursos de Aprendizagem

A quem se destinam?

Os Cursos de Aprendizagem destinam-se a jovens que pretendam adquirir uma qualificação profissional e ao mesmo tempo concluir o 12.º ano.

 

Devem reunir, cumulativamente, a idade e habilitações escolares que a seguir se indicam.

  • Idade inferior a 25 anos*
  • 9.º ano de escolaridade ou superior, sem conclusão do ensino secundário.

*em situações excecionais poderá admitir-se a integração de candidatos com idade igual ou superior a 25 anos.

Pode consultar a oferta publicitada na página do IEFP aqui.  consulte aqui a oferta de formação. Na mesma página pode realizar uma pré-inscrição, utilizando o formulário disponível. Apenas tem de fazer o preenchimento dos dados solicitados e indicar um endereço de correio eletrónico válido.

Em alternativa, pode sempre dirigir-se a um centro do IEFP. 

Objetivos

Os Cursos de Aprendizagem são cursos de formação profissional inicial, em alternância, dirigidos a jovens, privilegiando a sua inserção no mercado de trabalho e permitindo o prosseguimento de estudos.

Principais características:
  • Intervenção junto dos jovens em transição para a vida ativa e dos que já integram o mercado de trabalho sem o nível secundário de formação escolar e profissional, com vista à melhoria dos níveis de empregabilidade e de inclusão social e profissional;
  • Organização em componentes de formação – sociocultural, científica, tecnológica e prática – que visam as várias dimensões do saber, integradas em estruturas curriculares predominantemente profissionalizantes adequadas ao nível de qualificação e às diversas saídas profissionais;
  • Reconhecimento do potencial formativo da situação de trabalho, através de uma maior valorização da intervenção e do contributo formativo das empresas, assumindo-as como verdadeiros espaços de formação, geradores de progressão das aprendizagens;
  • A alternância é entendida como uma sucessão de contextos de formação, articulados entre si, que promovem a realização das aprendizagens com vista à aquisição das competências que integram um determinado perfil de saída.


Tipologia de Cursos e Nível de Qualificação do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ)

 Componentes da formação:
  • Formação Sociocultural

Componente de formação, com carácter transdisciplinar e transversal, que visa a aquisição ou reforço de competências académicas, pessoais, sociais e profissionais, tendo em vista a inserção na vida ativa e a adaptabilidade aos diferentes contextos de trabalho.

Visa, ainda, potenciar o desenvolvimento dos cidadãos, no espaço nacional e comunitário, proporcionando as condições para o aprofundamento das capacidades de autonomia, iniciativa, autoaprendizagem, trabalho em equipa, recolha e tratamento da informação e resolução de problemas.

  • Formação Científica

Componente que visa a aquisição de competências nos domínios de natureza científica que fundamentam as tecnologias, numa lógica transdisciplinar e transversal, no que se refere às aprendizagens necessárias ao exercício de uma determinada profissão.

  • Formação Tecnológica

Componente que visa, de forma integrada com as restantes componentes de formação, dotar os formandos de competências tecnológicas que lhes permitam o desenvolvimento de atividades práticas e de resolução de problemas inerentes ao exercício de uma determinada profissão.

  • Formação Prática em Contexto de Trabalho

Componente desenvolvida em contexto de empresa, que visa desenvolver novas competências e consolidar as adquiridas em contexto de formação, através da realização de atividades inerentes ao exercício profissional, bem como facilitar a futura inserção profissional.


 Legislação e Regulamentação


Articulação Educação-Formação-Trabalho

Os cursos de aprendizagem revestem-se de uma importância estratégica no quadro das políticas de educação, formação e emprego e contribuem, determinadamente, para o aumento das qualificações profissionais e escolares dos jovens.

Estes cursos procuram aproximar-se das reais necessidades do mercado de emprego, privilegiando as qualificações estratégicas para o crescimento da economia, designadamente em áreas de bens e serviços transacionáveis, indo ao encontro do objetivo de abranger, até 2020, 100 000 jovens.

REFERENCIAIS DE FORMAÇÃO

Protocolos de Colaboração estabelecidos entre o IEFP e diversas entidades/organismos

Para além da formação desenvolvida diretamente pela rede de Centros de Emprego e Formação Profissional do IEFP e com vista a melhor responder às necessidades do mercado de trabalho, têm vindo a ser celebrados protocolos de colaboração em áreas de formação consideradas estratégicas para a economia nacional, em particular em setores de bens e serviços transacionáveis.

Através da celebração destes protocolos, o IEFP reconhece que as empresas se assumem como parceiros ativos e estratégicos na dinamização das respostas formativas. Pode consultar aqui alguns dos Protocolos de Colaboração vigentes:

Empresas do Setor Empresarial do Estado

Fonte: IEFP 

Crie um site gratuito com o Yola